domingo, 6 de fevereiro de 2011

Cateter Nasal


Acrescentar ao material básico: cateter nasal nº 6,8,10 ou 12- conforme a idade do cliente e a quantidade de oxigênio desejada, ampola de solução fisiológica, luvas de procedimentos.

Método

1)      Conversar com o cliente sobre o cuidado
2)      Preparar o ambiente verificando as medidas de segurança
3)      Organizar e trazer o material para perto do cliente
4)      Colocar o cliente em posição de Fowler
5)      Unir o cateter ao intermediário e este ao umidificador
6)      Calçar as luvas
7)      Medir com cateter a distância entre a base do nariz e o lóbulo da orelha, marcando com o adesivo, para determinar quanto o cateter deve ser introduzido
8)      Abrir o fluxômetro e deixar fluir um pouco de oxigênio para evitar acidentes por saída intempestiva de oxigênio
9)      Umedecer o cateter com solução fisiológica, segurando-o com gaze
10)    Hiperestender (para trás) a cabeça do cliente ou tracionar para baixo o lábio superior
11)    Introduzir o cateter pelo assoalho de uma das narinas, até o ponto marcado
12)   Observar a posição do cateter através da boca do cliente – o extremo do cateter deve aparecer atrás da úvula palatina;se ultrapassá-la pode ocorrer náusea
13)    Tirar as luvas
14)    Fixar a cânula com fita adesiva, cuidando para que não fique incômoda
15)    Manter o fluxo de oxigênio: 3 a 5 litros/minuto, ou conforme prescrição médica
16)    Deixar o cliente confortável
17)    Providenciar a limpeza e a ordem do material
18)    Anotar o cuidado, descrevendo as observações

Observações

Observar o cliente durante o tratamento. Se o oxigênio for contínuo, trocar o cateter no mínimo a cada 24 horas, alterando as narinas, a fim de evitar ferimentos da mucosa nasal e obstrução do cateter por secreção. Fazer higiene nasal com soro fisiológico a cada 8 horas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário